segunda-feira, 20 de setembro de 2010


DONA ESMERALDA
(para minha avó Lucrécia)

Dona Esmeralda fez tortas, bolos e muitos filhos.
Já que muito não lhe foi permitido, fez a primavera no vaso da sala.
Custava-lhe o tempo que passava.
Morreu repentinamente olhando as horas (há quem diga, o relógio).

3 comentários:

Maria Elisa disse...

Ei Lelena! Tava c/ saudades... O restaurante tá te roubando tempo p/ as belas poesias e contos que tanto nos alegram? Tá perdoada................ Beijo!

Coutinho Sagrada e campos disse...

Ei Lelena,
Saudades de uma Trancoso perdida no tempo. Lembra?
Que lindo seu espaço aqui. Muito lindo mesmo!!!
Grande abraço.
Carlos Wagner

Anônimo disse...

Papai já viu este retrato da vó? Nunca vi mais bonito... e os dizeres então? Pura verdade!